AO VIVO
Menu
Busca quarta, 16 de junho de 2021
Busca
São Luís
29ºmax
23ºmin
Correios Celular - Mobile
Quadrinhos

Mauricio de Sousa comemora hoje 85 anos

O cartunista tem mais projetos incluindo um filme

27 outubro 2020 - 08h00Por Sandra Capomaccio

Um dos cartunistas mais importantes do Brasil, Maurício de Souza,  completa 85 anos nesta terça-feira (27), criador da história em quadrinhos mais conhecida do Brasil - A Turma da Mônica . 

Nasceu em Santa Isabel, no Vale do Paraíba, e com meses de vida seus pais se mudaram para cidade vizinha de Mogi das Cruzes. Mauricio de Sousa viveu num ambiente cercado de arte, pois seu pai, além de barbeiro, era poeta, compositor e pintor, e sua mãe poetisa. Sua casa sempre esteve cheia de livros, permitindo um ambiente bastante cultural. Era comum em sua casa receber saraus, reuniões de artistas e rodas de chorinho.

Seu primeiro emprego, em 1954,  foi como repórter policial na Folha da Manhã, onde passou cinco anos, escrevendo e desenhando em suas reportagens.  Mauricio de Sousa começou a desenhar histórias em quadrinhos em 18 de julho de 1959, dai para frente nunca mais parou.

Inspiração Familiar

Pai de dez filhos (Maurício Spada, Mônica, Magali, Mariângela, Vanda, Valéria, Marina, Mauricio Takeda, Mauro Takeda e Marcelo Pereira), além de criar personagens baseados em seus amigos de infância, Mauricio sempre criou personagens baseados em seus filhos, tais como: Mônica, Magali, Marina, Maria Cebolinha (inspirada na Mariângela), Nimbus (em Mauro),  do contra (em Mauricio Takeda), Vanda, Valéria, Marcelinho e Dr. Spada. Titi e Franjinha são personagens inspirados em seus sobrinhos, enquanto Horácio, o dinossauro verde, é um alter ego do desenhista.

Alguns de seus filhos que viraram personagens passaram a trabalhar com Mauricio; Mônica é responsável pela divisão comercial de alimentos e produtos licenciados, Magali colabora como roteirista e Marina ajuda na criação de novas histórias.

Casamentos

Mauricio de Souza se casou três vezes. A primeira vez com Marilene Sousa, mãe de seus filhos Mariângela, Mônica, Magali e Mauricio Spada. O casamento teve duração de 12 anos, e Marilene faleceu em 7 de fevereiro de 2011. De um novo relacionamento, com Vera Lúcia Signorelli, nasceram Wanda e Valéria Signorelli e Sousa. Vera morreu em 7 de dezembro de 1971, em decorrência de um acidente de carro ocorrido na Via Dutra dois dias antes.  Do casamento com Alice Keiko Takeda, nasceram Marina, Mauro e Maurício Takeda de Sousa. Por último nasceu Marcelo de Sousa, fruto de uma relação existente num período em que Mauricio e Alice estiveram separados. 

Em 2 de maio de 2016, morreu Mauricio Spada, seu filho de 44 anos, de ataque cardíaco enquanto estava em casa.  

60 anos

No sábado (24) foi dia de festa no bairro do Limoeiro, (bairro onde se passam as histórias da Turma da Mônica) já que é aniversário de 60 anos do Cebolinha, personagem da Turma da Mônica criado em 1960 e que até hoje é um dos mais queridos do público.

De acordo com Mauricio de Sousa  o garotinho de cabelo espetado foi inspirado em uma pessoa real, um amigo que costumava jogar bola com o irmão dele em um campinho de terra na cidade de Mogi das Cruzes (Grande São Paulo). Cebola era o apelido dele, por causa do penteado diferente que usava na época. Maurício disse: 'Orgulhoso pelo filho que eu criei'. 

Seja falando "elado", trocando o 'R' pelo 'L', ou imaginando algum plano infalível para arrancar o coelho de Mônica, ele já aprontou boas tramoias nas histórias criadas por Mauricio de Sousa, 84, que na década de 1950 trabalhou como repórter da Folha de S.Paulo até deixar esse trabalho para se dedicar integralmente ao cartunismo. 

Cebolinha foi um dos primeiros personagens criados por Sousa. Na década de 1960, ele era o único que usava sapato. Como Sousa não tinha muitos personagens no começo da carreira, ele podia se dedicar mais horas a detalhar seus traços. Mas, quando mais jornais começaram a pedir as tirinhas, o cartunista aumentou seu leque de figurinhas e não tinha mais tempo de desenhar sapatos.

"A primeira tira dele, já com a Mônica, eu lembro até hoje. Andava pela guia da calçada e encontrava a amiga sentada em seu caminho. Ele dizia: 'Sai da frente, 'golducha', quero passar'. A Mônica levantava e enchia ele de coelhada. Em seguida, Cebolinha reclamava: 'Puxa vida, as mulheres desequilibram os homens'", relembra.

E por falar em Mônica, a chegada dela às histórias, em 1963, fez com que Cebolinha fosse mudando suas características comportamentais. No início da década de 1960 era ele quem roubava a cena. Mas, após a criação da personagem inspirada na filha de Sousa, Cebolinha correu atrás do prejuízo.

"Aquela menina valente, brava e voluntariosa começou a se destacar mais do que ele. Era mais notável. Tanto que de Turma do Cebolinha virou Turma da Mônica. E nas tiras eu represento isso. Ele mudou seu comportamento e passou a querer recuperar o seu espaço e a tomar o que é da Mônica. Mas transformo isso em um conflito bonito e que, no final, ambos fazem as pazes", diz.

Edição Comemorativa

A chegada aos 60 anos terá comemoração especial para Cebolinha -que, na verdade, está há seis décadas comemorando sete anos de idade. A Mauricio de Sousa Produções e a Panini lançam no dia 1° de novembro uma edição comemorativa de uma revista em capa dura com histórias do personagem.

Intitulada "Dono da 'Lua'" (era para ser rua, mas ele troca as letras, como de praxe), o gibi -já disponível na pré-venda pelo preço de R$ 49,90 no site da Amazon- mostrará mais aventuras de Cebolinha. De acordo com Sousa, será um compilado com as melhores e mais clássicas tramas nesses 60 anos.

O autor explica, porém, que muitas piadas e brincadeiras de seis décadas atrás poderiam ser encaradas de uma forma diferente atualmente. Por isso, qualquer historinha politicamente incorreta será editada ou cortada. "Vemos com olhos mais exigentes e cuidadosos. Queremos evitar constrangimento. Nos velhos tempos, algumas situações eram aceitáveis, hoje, não."

Reprodução

Entre as situações que foram cortadas estão algumas em que Mônica bate no Cebolinha e ele aparece no chão com o olho roxo e sem dente. "Seria um palavreado de antigamente, alguma situação de mais agressividade. Algumas crianças chegaram a me escrever para apontar que não gostavam de o Cebolinha todo machucado. Eu suavizei tudo. Nos últimos anos a Mônica só corre atrás dele, mas não bate", diz o cartunista.

E as novidades não param por aí. Na última quarta (21), o canal da Turma da Mônica no YouTube, que tem mais de 4,5 bilhões de visualizações, iniciou uma série de curtas cujo protagonista é o Cebolinha. Trata-se de um compilado com dez episódios, voltados a um público ainda mais novo, com aventuras do personagem e de sua turma.

Novo Filme 

Em 2021, Cebolinha poderá ser visto mais uma vez nos cinemas, assim como toda a trupe. A segunda versão do filme da Turma da Mônica, "Lições", que seria lançada em dezembro, deve estrear somente no ano que vem. Nele, os personagens estarão na escola. "Educação é muito importante e representativa. A Turma da Mônica alfabetizou muita gente e essa é uma medalha que eu carrego em meu peito", afirma Mauricio de Sousa.

Na avaliação dele, Cebolinha é um dos personagens mais queridos do público devido à identificação que ele causa nas pessoas. E é por isso que até hoje ele recebe mensagens de gente que deseja ler histórias sobre o famoso plano infalível que o garotinho sempre tenta contra a amiga Mônica. "Cebolinha inspira carinho por causa do lado fraco dele. Ele sempre deseja algo e nunca consegue. As pessoas querem ver, até hoje, o famoso plano infalível dele dar certo."

O cartunista afirma que não há planos de atender ao desejo dos aficionados pelos quadrinhos. "Não vou dar spoiler, quem sabe um dia ele consegue?", despista. Ele cita ainda que o público sempre pergunta por que ele sempre se dá mal nas histórias. "O que tem de gente que me pergunta: 'Ele é tão bonitinho, mas por que sofre tanto?'. São sempre observações de carinho."

Se o Cebolinha faz sucesso no Brasil, também tem lá seu respaldo no exterior. Em 2007, um boneco de vinil do personagem foi visto em uma parte do filme australiano "Black Water", no qual viajantes são atacados por um crocodilo. "Nunca fui adivinho ou futurólogo, não imaginava que esse sucesso fosse durar tanto e que Cebolinha fosse parar em outro país. Mas planejei e corri atrás", diz Sousa.

Educação

Mauricio de Sousa sempre desenvolveu diversos projetos sociais, seja através de revistas especiais ou das historinhas de linha abordando questões sociais no dia a dia, de forma divertida, transparente e lúdica, com isso, muitas escolas começaram a utilizar dos personagens dentro da sala de aula para abordar com seus alunos temas como respeito, justiça, solidariedade, responsabilidade e conscientização sobre seus direitos e deveres. Em 1997, Mauricio percebeu que era hora de atuar efetivamente na educação de forma sistemática e dirigida. Foi assim que foi criado o Instituto Mauricio de Sousa. 

 

Imortal Paulista

No dia 13 de maio de 2011, Mauricio tomou posse na Academia Paulista de Letras, ocupando a cadeira 24, que anteriormente era ocupada pelo poeta Geraldo de Camargo Vidigal, tornando-se assim o primeiro quadrinista a ser empossado por esta Academia.