AO VIVO
Menu
Busca quarta, 21 de abril de 2021
Busca
São Luís
29ºmax
24ºmin
Correios Celular - Mobile
Coluna

Na super quarta-feira Bancos Centrais do Brasil e Estados não mexem nos juros

Dia-a-dia da Economia

17 setembro 2020 - 06h00Por Reinaldo Cafeo
Na super quarta-feira Bancos Centrais do Brasil e Estados não mexem nos juros

Sem surpresa a decisão do Comitê de Política Monetária – COPOM, do Banco Central brasileiro, ao manter a taxa básica de juros em 2% ao ano. Nos Estados Unidos os juros básicos também foram mantidos entre 0% e 0,25% ao ano. Estas duas decisões agendadas para esta quarta-feira foram chamadas de super quarta-feira pelo mercado financeiro nacional.

Aqui no Brasil, mesmo o País tendo a necessidade de estimular o consumo, e juros menores vão nesta linha, as recentes altas nos preços dos alimentos, com revisão para cima da inflação, pesou mais na tomada desta decisão. A nota do Banco Central vai nesta linha: “o comitê avalia que a inflação deve se elevar no curto prazo “.

Vale destacar que mesmo com a manutenção do patamar atual, o Brasil continua praticando sua menor taxa de juros da história tanto em termos nominal, como em termos reais (descontada a inflação). 

Na prática nada muda, principalmente para os poupadores conservadores que preferem aplicar seus recursos sem correr risco: as taxas da renda fixa serão mantidas no patamar atual, com CDI – juros entre bancos, em 1,90% ao ano (bruto) e a caderneta de poupança em 1,40% ao ano.