Menu
Busca terça, 09 de março de 2021
Busca
São Luís
31ºmax
24ºmin
Control
Entrevistas com Candidatos

Orlando Silva defende plano para pequenas e micro empresas

Candidato diz que representam 99% da ocupação - emprego - dos paulistanos

22 setembro 2020 - 12h20Por Paulo Toledo

O candidato a prefeito de São Paulo, Deputado Federal Orlando Silva (PC do B), defendeu, na segunda entrevista da série com os candidatos à Prefeitura de São Paulo, que o futuro mandatário da maior cidade do Brasil, depois da luta principal para salvar vidas na questão da pandemia da covid-19, terá que se dedicar à questão do emprego.

Para ele, é necessário criar um plano de suporte para as micro e pequenas empresas que representam 99% da ocupação dos paulistanos.

Ressaltando o agravamento do problema do desemprego, em função da pandemia, o candidato disse que é preciso olhar também para os setores de hotéis e restaurantes, muito afetados.

Orlando Silva afirma que, se eleito, pretende combater o problema das pessoas em situação de rua, estimadas em cerca de 30 mil pessoas e que atualmente se espalhou pela cidade, do Centro para o Centro dos bairros. Para resolver o problema, destaca, o poder público municipal precisa ser ativo e não ficar dependendo do trabalho quase solitário do padre Júlio Lancelotti.

O candidato do PC do B afirma que a Cracolândia é a falência da política pública para população em situação de rua e drogadição. Criticou a forma com que o governador João Dória (PSDB) tentou resolver a situação quando era prefeito, “na porrada”, o que gerou expansão para o Centro ampliado, com a criação de mini-Cracolândias em outros locais. Para Orlando Silva, a resolução definitiva para a Cracolância é uma medida de saúde pública e passa pela reinserção econômica e reintegração familiar dos drogados.

O candidato disse que, ao invés de desativar o Minhocão, seria mais importante viabilizar os Parques Augusta e Bixiga, que traria o atendimento da população do Centro. Acredita que a desativação da via expressa, no futuro, terá que passar por um planejamento específico e pela implantação de transporte de massa de alta capacidade, para não criar problemas de desenvolvimento para as zonas Oeste e Norte da cidade.

Orlando Silva criticou o fato do prefeito Bruno Covas (PSDB) não fazer regulamentação do transporte de aplicativos, importante atividade econômica, gerando mais problemas.

Na entrevista, afirmou ser preciso gastar melhor os 31% do orçamento, que é utilizado na Educação.

O candidato do PC do B disse que o transporte público tem que ser revisto.

Lembrou que dos R$ 9 bilhões movimentados, R$ 4 bilhões saem do Tesouro Municipal, o que é muito caro.

Sobre a possível polarização provocada por sua candidatura, que é da esquerda mais tradicional, Orlando Silva aposta no diálogo e afirma que o debate é saudável. Veja o vídeo com a íntegra da entrevista concedida pelo Candidato.